Loading...
CinemaNotícias

Programação Cinemateca (Fevereiro)

A Cinemateca publicou finalmente a Programação de Fevereiro que incluirá a exibição de filmes que até há pouco tempo estavam inacessíveis por motivos técnicos. No meio de todos eles, serão exibidos Umarete wa Mita Keredo (01 Fevereiro na Sala Luís de Pina) de Yasujiro Ozu e Yokihi (05 de Fevereiro na Sala Dr. Félix Ribeiro) de Kenji Mizoguchi.

Os bilhetes podem ser adquiridos na Cinemateca, antes das sessões. O Bilhete Normal custa 3.20€, o Bilhete para Desempregados custa 1.35€ e os bilhetes para Estudantes, portadores de Cartão Jovem, maiores de 65 anos ou Reformados custa 2.15€.

umarete

Umarete wa Mita Keredo (Nasci, mas…) é um filme Mudo de Yasujiro Ozu que estreou a 3 de Junho de 1932. O argumento, criado por Ozu e Akira Fushimi, conta a história de uma família que se muda para um subúrbio de Tokyo. Os dois filhos do casal, Keiji (Tomio Aoki) e Ryoichi (Hideo Sugawara) começam a ser gozados por um grupo de rufias da sua escola e decidem que terão de se tornar mais fortes. Com a ajuda de Kozou (Shoichi Kofugita) eles acabarão por surgir como os líderes desse grupo.

Algum tempo depois, o pai, Kennosuke, é convidado pelo patrão a participar numa reunião onde os empregados podem levar a sua família. Para alegrar o ambiente, o patrão decide exibir alguns vídeos da empresa e os dois rapazes acabam por assistir à forma como o seu pai é mal-tratado por toda a empresa.

Quando chegam a casa, Kennosuke admite deixar-se mal-tratar porque o seu patrão tem uma condição social e económica acima da sua. Keiji e Ryoichi não querem crescer para serem fracos como o pai e juram tornar-se Tenente-General e General, respectivamente. No dia seguinte, a família encontra o patrão de Kennosuke e os dois miúdos conseguem que este dê boleia ao pai, levantando a sua moral.

O filme tornou-se no primeiro de Ozu a vencer o Prémio dos Críticos no Kinema Junpo e tem um remake, feito pelo realizador, de 1959 chamado Good Morning.

yokihi

Yokihi (A Imperatriz Yang Kwei Fei) de Kenji Mizoguchi, estreou a 3 de Maio de 1955 e é um dos dois filmes a cores do realizador (sendo o outro Shin Heike Monogatari também de ’55).

Co-Produzido entre a Daiei Film e a conceituada Shaw Brothers Studio (de Hong Kong), o filme remonta ao Século XVIII na China onde o Imperador sofre com a morte da sua mulher. A Família Yang decide que para o bem do Império, deverá ser encontrada uma nova mulher para o seu Soberano. O General An Lushan encontra uma parente distante a trabalhar na cozinha do palácio e o Imperador acaba por se apaixonar por ela. Depois do casamento, a Família Imperial aponta novos Ministros e An Lushan, não sendo um deles, instiga uma revolta que colocará o Império em causa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.