Loading...
ArtigosCultura

Biwa-ko

Localizado na região de Kansai, mais precisamente na província de Shiga ken, o lago Biwa com seus mais de 670 km², é o maior lago de água doce do Japão e um dos mais antigos do mundo (originado numa falha tectónica). Foi formado há quase 4 milhões de anos atrás e é um dos poucos lagos do mundo a possuir tanta história e a servir de cenário para diversas poesias, prosas de grandes autores japoneses.

Serve como fonte de água potável para mais de 14 milhões de pessoas nas regiões de Shiga, Kyoto, Osaka e Kobe, além de abastecer a agricultura e a indústria local. É também o habitat de inúmeras espécies de animais sendo que algumas delas apenas são encontradas no Lago Biwa como o honmoroko (Gnathopogon caerulescens) e o isaza (Gymnogobius isaza). São cerca de 60 mil aves migratórias, 50 espécies de peixes e 40 espécies de moluscos. Também vive o molusco que dá origem à pérola biwa, considerada a melhor pérola de água doce no mundo pela sua qualidade e beleza.

No período Edo (1603-1868) o Biwako foi intensivamente utilizado como via de comunicação para o transporte de arroz, sendo de vital importância para economia da época. Actualmente, suas águas servem para irrigação, consumo humano, turismo e lazer (desportos aquáticos e pesca).

Hoje, além de fornecer água para mais de 14 milhões de pessoas (cidades de Quioto, Osaka e Nara), o lago Biwa é conhecido pelo cultivo de trutas e pela maricultura, além de ser um ponto turistico muito visitado durante o ano todo.
Um dos pontos mais bonitos no verão é certamente a região de Omimaiko (近江舞子水泳場 – Oumimaiko Suieijyou). Com mais de 4km de areia branca e floresta de pinheiros, Omimaiko é conhecida desde tempos remotos por sua beleza. Suas águas são citadas em diversos textos e não é para menos. Além da temperatura agradável graças aos pinheiros, o ambiente proporciona espaço ideal para crianças e adultos se divertirem.

Este loval faz parte das famosas “As oito paisagens do Lago Biwa” e “As oito paisagens de Oumi” (Oumi é o antigo nome da província), que estão profundamente enraizadas no coração dos japoneses e mais intensamente nos habitantes de Shiga. Estas oito paisagens foram escolhidas de modo a apresentar o Lago Biwa como um todo, com toda sua grandeza e transformações que acompanham a troca das estações do ano.  

As rochas submersas de Kaizuoosaki – A grandeza brusca das rochas submersas envoltas pela neblina que se estende sobre superfície do lago dão um toque de fantasia à paisagem.

As areias brancas da praia de Omatsuzaki – “O verde dos pinheiros nas suas areias brancas…” letra da famosa canção “Jornada pelo Lago Biwa”.

A floresta do Monte Hiei – O templo Enryaku alinha-se às árvores da profunda floresta e é possível sentir a calmidão enovoada pela chuva.

A correnteza cristalina de Seta, Ishiyama – A bela cena do pôr-do-sol refletido nas águas do rio Seta sob a ponte Kasasaki, uma das três mais famosas pontes do Japão.

A grande vista do monte Shizugatake – O monte Shizutake  ficou na história por ter sido o palco da “Batalha de Shizutake”, entre Hashiba Hideyoshi (que se tornaria mais tarde o xogum Toyotomi Hideyoshi) e Shibata Katsuie.

As sombras submersas da Ilha Chikubu
– A sombra da ilha, coberta pelo verde escuro das árvores, refletida sob a superfície da água é uma das paisagens representativas do Lago Biwa.

O antigo castelo Hikone – A imagem do castelo emerso sobre o luar faz os visitantes sentirem o peso da história.

A ribeira de Azuchi-hachiman – O curso de água à oeste do lago se estende como os fios de uma rede pela ribeira de Azuchi-hachiman, sendo possível navegá-lo através do juncal.

Como nota de curiosidade, a origem do nome Biwa está relacionada ao formato do lago: uma biwa é um alaúde de quatro cordas, instrumento musical trazido da China para o Japão.

Autor: Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.