Loading...
ArtigosCultura

Yokai – Oodokuro

Dizem os japoneses que é muito raro aparecer este yokai que vive nos nossos dias e que se desloca de uma forma bípeda ou quadrupeda. É conhecido pelo nome de Oodokuro (おドクロ), mas também há quem o chame de Dokuro no kai, Mekurabe ou Gashadokuro.

Apareceu pela primeira vez na segunda metade do século XX. Foi criado pelos autores das revistas para rapazes publicadas entre 1960 e 1970 e nas enciclopédias ilustradas como foi o caso do Shiriaki Yamauchi’s Bizarre Thriller’s Complete Works 2: Monsters of the world (Akita Shoten, 1968) que continha uma compilação de artigos sobre os yokai escrita por Saitō Ryokuu. Por volta da mesma altura também o mangaka Shigeru Mizuki (Kitaro e Nonnonba recentemente editado pela Devir) e Satō Aribumi, davam a conhecer este monstro nos seus mangás.

Todas estas ilustrações deste yokai baseiam-se no esqueleto gigante retirado do ukiyo-e de Utagawa Kuniyoshi que segundo os historiadores não tem ligação directa com o monstro mas é bem possível que tenha sido a base para as representações modernas. Este yokai é um enorme esqueleto de “somente” 45 metros, mas também pode ter a aparência de muitos outros esqueletos juntos formando um só. Tem como sua arma principal a sua aparência pode matar apenas com um susto.

Segundo os entendidos no estudo do folclore japonês estes enormes esqueletos apareceram em campos de batalha e outros lugares onde um grande número de cadáveres humanos tenham sido abandonados sem receber um enterro condigno. Toda esta tristeza, frustação e esquecimento colectivo materializa-se em forma de um Oodokuro.

Reza a lenda que remonta há mais de um milénio que este vingativo yokai encontra grande prazer em carne humana (e se estiver viva ainda melhor), primeiro come as partes mais suaves (músculos, cérebro, vísceras, etc) e depois incorpora os ossos recém-criados no seu próprio corpo. Diz-se que a única forma de evitar a sua fúria é esconder-se, mas temos que nos esconder muito bem porque o pode mandar partes do seu corpo procurar-nos.

Existe uma lenda muito famosa relativa a este yokai que conta que no século X existiu um feiticeiro feudal chamado Taira no Masakado, que realizou um golpe de estado contra o imperador e o seu tribunal, mas pouco depois foi capturado, decapitado e desmembrado como castigo pela sua audácia, os seus restos foram expostos à visão pública como um aviso aos futuros rebeldes. Os restos mortais estiveram expostos durante muitos meses. A lenda diz que, naquela época, a cabeça de Masakado começou a rir sem parar e que ele “saiu” para procurar o seu corpo, pois estava furioso com a morte dele e com o tratamento indigno que lhe foi dado.

A sua filha fez as suas orações num templo chamado Kifune (que ainda existe), mas a fúria de Masakado com a sua filha foi tão intensa que este conseguiu dar-lhe os seus poderes sobrenaturais a ela. Nem esperou um minuto para usá-los e assim invocar um Oodokuro e atacar a corte imperial mais uma vez. No momento, o templo onde a cabeça de Masakado estava enterrada ainda existe e está localizado na zona de Otomachi na capital japonesa.

Ainda sobre este yokai existe uma outra lenda que também envolve um descendente de Masakado, mas que tem a sua acção três séculos depois que era Taira no Kiyomori (uma figura importante na história japonesa), que era o líder de um clã samurai que tinha uma posição privilegiada na corte imperial e que era famoso pela sua “mão dura” contra o inimigo. Dizem que ele um dia acordou e foi passear ao seu jardim, mas quando lá chegou viu com surpresa que este estava cheio de crânios, Kiyomori chamou os seus soldados e, enquanto estes se aproximavam, todos os crânios começaram a formar um enorme Oodokuro. O general manteve seu olhar sem medo e, eventualmente, o yokai desapareceu.

Como curiosidade no maravilhoso filme Pompoko do mestre Hayao Miyazaki, um dos tanukis vindos de Shikoku é mestre na arte marcial Genjutsu (a arte de criar ilusões que pareçam reais) e utiliza toda a sua habilidade para criar todo um desfile nocturno (hyakki yagyou) de 100 yokai liderado por Nurarihyon, acompanhado por Otoroshi e Nozuchi.

. Neste desfile aparece um colossal Oodokuro, e mas a sua aparência não tem uma forma tão macabra como é na sua história original.

Escrito por: Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook