Loading...
Entrevistas

[Entrevista] : Midori Harada

Actualmente vive na Alemanha (Berlim), mas gosta muito de Portugal por isso desde 2002 que viaja regularmente para o nosso país. Midori Harada tornou-se famosa entre os jogadores de Pokemon TCG por ter ilustrado bastantes cartas deste jogo. Mais recentemente dedica-se à ilustração e já tem vários livros publicados cujo o publico português também conhece se esteve no ano passado no evento da Comic Con. O ClubOtaku esteve à conversa com esta artista japonesa na semana passada a poucos dias de regressar a Portugal para mais um ano na Comic Con na zona de artistas.

Podes rapidamente falar um pouco sobre ti? Como é que tudo começou e quando começaste a desenhar?
Sou uma artista japonesa que vive na Alemanha. A minha vida começou quando me mudei para a Europa. Foi há quatro anos em 2014.

Estudaste em alguma escola de arte?
Sim. Estive na Universidade das Artes em Tóquio. Agora estou a estudar alemão na Volkshochschule. Na minha opinião, escola e ano de começo não é uma questão importante. A toda a hora, todos os dias eu estudo e pinto.

Para aqueles que jogam Pokemon Cardgame facilmente reconhecem o teu nome. Como é que te envolveste no franchise de Pokemon? E quando é que começaste a fazer ilustração para as cartas?
Foi em 1996. Nessa altura o Pokemon cresceu como uma grande explosão e a franquia precisava de criar 151 monstros e bem rápido. Primeiro comecei com a parte do design comercial (publicidade e merchandise). E desde 2002 que faço ilustração para o Pokemon TCG. Também fiz as ilustrações para os mapas.

Criaste os mapas dos mundos de Hoenn, Sinnoh, Kanto e outros. Mas foste tu que tiveste a ideia destes mundos ou apenas criaste a arte para eles?
Eu não criei as regiões. Os criadores do jogo é que criaram estes mundos. Eu apenas pintei grande parte destas regiões baseada nos jogos. Enquanto pintava não dizia nada a ninguém. Estava tudo no segredo dos deuses. Pintei mapas entre 2002 e 2010.

E tu jogas Pokémon TCG? Qual é o teu Pokemon favorito?
Eu não jogo Pokemon. O meu preferido é o Cubone.

Além de fazeres ilustrações para cartas de Pokemon e outro merchandise também fizeste outras ilustrações para jogos de tabuleiro e jogos de cartas. Podes falar-nos um bocadito sobre isso?
Sim claro. Desde 1999 que faço ilustração mais a sério. Desenhei vários livros de ilustração e colaborei com a minha arte em outros jogos de cartas como por exemplo: Battle Spirits, Force of Will e Culdcept Saga.

Não sei se tiveste também alguma participação num jogo chamado Machikoro. É um grande jogo. E tu jogas boardgames?
Também não jogo. Machikoro é um grande jogo, mas a arte não é minha, mas sim do Noboru Hotta. Eu fiz as ilustrações para o jogo “Ein Schaf” que foi lançado ao mesmo tempo que o Machikoro. O jogo foi criado por Masao Suganuma e foi nominado para “The game of year 2015”. Ele veio a Berlim.
“Ein Schaf” é um pequeno jogo com 50 cartas sem qualquer texto. O jogo tem um estilo fofinho e um conceito como o meu livro “A fluffy Polar Bear”.



Do teu portfolio também já fazem alguns livros infantis que tem a particularidade ne não usares texto. Porquê essa escolha?
Porque assim torno o meu trabalho mais internacional, em especial para as crianças. Sem texto não existe problema de linguagem.

No teu Facebook e na página do Pixiv podemos ver algumas ilistrações de paisagens europeias. Para nós foi realmente uma grande surpresa quando vimos que tinhas feito um livro com ilustrações de paisagens portuguesas. Quer dizer isto que que gostas de Portugal? E quantas vezes já visitaste o nosso país?
A primeira vez que visitei foi em 2002. O meu companheiro sonhava em viver em Portugal, mas era uma pessoa muito mais ocupada do que eu. Faleceu em 2005. Viemos passar a lua de mel em Portugal… Trouxe as suas cinzas. Viajei por muitas cidades e locais em Portugal e mesmo ilhas. Depois da enorme tragédia, volto a Portugal quando estou triste.

E quais são os teus locais preferidos em Portugal? E as tuas comidas preferidas?
Eu adoro Portugal inteiro e o meu prato preferido é Bacalhau à Brás. Mas para teres perguntado isto é sinal que viste as minhas pinturas de comida. (risos)

Além de regressares a Portugal novamente este ano para a Comic Con. Podias dizer-noz em que estás a trabalhar actualmente e quais os planos para um futuro próximo?
Em 2016, li um artigo sobre Junichi Masuda e Shigeru Omori. Eles foram convidados oficiais da Comic Con Portugal. Foi maravilhoso, por isso no ano passado (2017), participei como artista. Muitas pessoas comprara os meus livros. Não sou famosa em Portugal, mas estes eventos dão-nos sempre mais visibilidade e abrem novas possibilidades.
Este ano em Julho, a minha amiga veio a Águeda ver um projecto artistico. Viajámos pela região de Aveiro e Porto. E por causa desta viagem estou a planear um novo livro com o meu urso polar a viajar pela zona costeira portuguesa.




Obrigado Midori Harada por partilhares um pouco da tua história e do teu trabalho. Queres deixar umas últimas palavras para os nossos leitores?
Mais uma vez agradeço por me terem entrevistado e dar a conhecer o meu trabalho aos portugueses. E vemo-nos na Comic Con.

Entrevista por: Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook