Loading...
MangaNotícias

Aranzi Machine Gun

Fofo, estranho, divertido, parvo, assustador e estúpido é como podemos apresentar este livro que chegou recentemente às minhas mãos. E enganem-se todos aqueles que pensam que um livro com o título de Aranzi Machine Gun é o mesmo que dizermos que temos um catálogo de armas nas nossas mãos.

Aranzi Machine Gun é o primeiro volume de uma séries de três que nos dispara uma rajada de fofice e uma bazucada de estranheza e ridículo tendo como cenário um mundo de personagens feitas artesanalmente (de papel, de lã – ler artigo amigurumi – e outros materiais), uma espécie de universo a”arts’n’crafts”. Apesar de fofos e queridinhos, não significa que os personagens de Aranzi Aronzo não tenham uma vida “complicada” ou que sejam desprovidos de sentimentos profundos.

Este primeiro volume de uma série de três têm um estilo kawaii (palavra japonesa para fofo). A fórmula está mais que gasta mas mesmo assim os japoneses não se cansam. Aranzi usa mascotes expressivas feitas em desenho vetorial (linha e cores planas) e mistura com fotografias de bonecos feitos de papel, de lã e de outros materiais. O resultado são histórias completamente loucas e às vezes sem nexo, mas que sem percebermos porquê achamos divertido.

Para quem quiser um ponto de referência com algo ocidental dizemos que esta série de livros fofinhos mas com uma morbidade assustadora, lembra-nos os famosos desenhos animados Happy Tree Friends.

Lá dentro destacamos a curta história de “Mr. Sprite’s Voyage Westward” que não é mais nem menos do que uma viagem fotográfica super fofinha de um Kappa-chan. E também a quase no final do livro podemos encontrar um projeto envolvendo artesanato onde o leitor pode criar algumas das personagens que aparecem ao longo do livro.

Não se sabe ao certo quem é o autor destas histórias que mistura a banda desenhada com a fotografia e outros suportes. No site oficial, é descrito que Aranzi Aronzo, é a combinação do Sr. Aranzi, um homem mexicano-japonês e Sr. Aronzo, um norueguês vietenamita-indiano, mas na realizada a empresa responsável para produção de todo o universo Aranzi é dirigida por duas mulheres (irmãs): Kuniyo Saito e Yoko Yomura, e é quase certo que são elas as criadoras de todas estas personagens que aparecem no primeiro volume de Aranzi Machine Gun.

A empresa criou várias lojas, livros, exposições e campanhas publicitárias em 2007, alguns dos livros foram publicados nos Estados Unidos pela editora Vertical Inc. E como é habitual nos japoneses e em todo o que é “kawaii” a empresa também criou diversos produtos de merchandise (t-shirts, cadernos e postais para citar alguns deles) .

Apesar de não ser muito a minha praia, Aranzi Machine Gun publicado em 2007 é um óptimo livro para nos levantar o humor e afastar a tristeza. E é um excelente livro para os mais novos, mesmo não saber ler inglês ou japonês. Os desenhos super coloridos, criativos, inspiradores e “meio malucos” falam por si e atraem facilmente o público mais pequeno.

Escrito por: Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook