Tenham muito cuidado antes de abrir a porta a desconhecidos, especialmente quando têm longos cabelos preto que escondem o rosto… Isto é um aviso, e quem vos avisa…

O one-shot seinen (manga para um público mais adulto) “A Senhora do Quarto Fechado” (座敷女, leia-se Zashiki Onna) é sem dúvida uma das grandes obras de Minetarō Mochizuki autor do famoso manga Dragon Head. Desde o início, somos surpreendidos com os recursos do autor, que nos mergulha imediatamente numa atmosfera obscura.

Zashiki Onna conta-nos a história de Hiroshi que acorda com alguém a bater na porta do vizinho, do outro lado ninguém responde. Passado pouco tempo, bate à porta uma mulher que irá pedir-lhe para usar o seu telefone, ela então faz a chamada, mas avisa que não vei ser a última vez que a irá ver.

A coisa mais interessante e surpreendente deste manga, que para muitos japoneses é o manga mais assustador de todos os tempos é o estilo de desenho sujo, bizarro, e até podemos dizer feio, mas que confere à história todo aquele ambiente que Mochizuki quis transmitir: stress, ansiedade, desespero e uma atmosfera que agarra o leitor em menos de 10 páginas.

As cenas ocorrem principalmente à noite por esse motivo é a altura certa para instalar um clima de medo e terror, ao jogar com as sombras e no desconhecido: uma estética de claro/escuro, rostos escondidos e close-ups de partes do corpo de um personagem, como olhos, boca… respirações ofegantes… Temos o direito a vermos todos os detalhes, que também estremecem e ajudam a reviver o suspense. Tudo isto a fazer-nos lembrar o já clássico filme Ringu com a personagem Sadako e os seus longos cabelos pretos.

O dinamismo psicológico que Zashiki Onna que vai crescendo e acentua a personalidade de tal mulher triste e aterrorizante, é sem dúvida a alma da história. Somado a isso, vale a pena também dizer que o autor não cai em “clichês” típicos das lendas urbanas japonesas, mas se concentra em fornecer realismo e ambiguidade para o caráter da mulher, lançando dúvidas cada personagem é realmente um fantasma, ou apenas uma mulher com problemas mentais graves.

Se o manga não é conhecido pela sua originalidade, o mesmo revela-se muito interessante, porque lida com um assusto que muistas pessoas acham curioso, as lendas urbanas. Zashiki Onna é um manga só de um volume, mas cumpre muito bem a sua missão de dar ao leitor uma boa dose de medo.

E depois digam que eu não vos avisei …

Escrito por: Fernando Ferreira