Loading...
ArtigosMúsica

Sakamoto Kyu

Se existe uma música japonesa conhecida e com imensas interpretações quer japonesas quer ocidentais, essa música é sem dúvida “Ue o Muite Arukō” (conhecida como “Sukiyaki” no resto do mundo) e que foi cantada por Sakamoto Kyu (坂本九) e vendeu mais de 13 milhões de cópias.

Nascido a 10 de Dezembro de 1941, na região de Kanagawa, Sakamoto Kyu era o mais novo dos nove filhos, e por esse motivo foi apelidado de Kyu-chan (九ちゃん), que significa literalmente nove em japonês, mas também existe a leitura alternativa do kanji do seu nome, Hisashi (九). No verão de 1944, durante os ataques aéreos sobre Tóquio, a mãe de Kyu levou-o juntamente com mais dois dos seus irmãos para a zona rural de Kasama na prefeitura de Ibaraki e aí poderem estar a salvo com os seus avós maternos. Mudaram-se de volta para a Kawasaki em 1949. Nessa altura a empresa do pai foi fechada pelas forças de ocupação americanas, mas esta situação não foi motivo para baixar os braços e pouco tempo depois decidiu abrir um restaurante.

Em 1956, os pais de Kyu divorciaram. Á sua mãe foi dada a guarda dos três filhos menores, incluindo Kyu, e eles adoptaram o nome de solteira da mãe, Oshima. Os irmãos mais velhos mantiveram o sobrenome do pai, Sakamoto. É nesta altura que Kyu começa a tocar guitarra na escola, e também decide investir no canto. Dois anos mais tarde, quando Sakamoto tinha 16 anos, juntou-se à banda The Drifters que tinham sido formados três anos antes. Mas as coisas não corriam bem para Sakamoto, ele estava descontente com sua posição na banda. O papel de segundo vocalista não era para ele por isso teve muitas discussões com os outros membros da banda. No Verão desse mesmo ano, a fama de Sakamoto começa a crescer depois de ele ter cantado no festival de música anual no Nichigeki Hall. Este sucesso não é bem visto pelos outros dois membros da banda e para não se criarem mais conflitos, Sakamoto deixou a banda em Novembro 1958.

Depois de ficar sem banda, Sakamoto decide voltar aos estudos e focar-se em entrar para a universidade. É aqui que encontra um grupo de rapazes que tinham uma banda e que pergunta se pode também pertencer ao grupo. A resposta foi imediata, isto porque a banda tinha acabado de perder o vocalista. A carreira de Sakamoto começa a superar as expectativas nos pequenos concertos que iam dando.

A banda consegue o primeiro contrato de gravação na editora JVC. A primeira canção a tornar-se um sucesso foi “Kanashiki Rokujissai” e pouco tempo depois a banda lança uma série de canções que rapidamente se tornaram muito populares entre os jovens japoneses. Este sucesso repentino leva Sakamoto até aos estúdios da Toshiba para assinar um novo contracto discográfico e com isso deixar a banda e seguir numa carreira a solo.

E não podia ter começado melhor a carreira a solo de Sakamoto. Ele debuta musicalmente com a canção de amor “Ue o Muite Arukō”, escrita por Rokusuke Ei e Hachidai Nakamura. A canção é ouvida pela primeira vez num programa de televisão na estação NHK em Agosto de 1961. Instantaneamente tornou-se um grande sucesso e até teve direito a uma edição em vinil vermelho. A sua descoberta internacional aparece em 1963, durante uma visita ao Japão por Louis Benjamin, um executivo da editora britânica Pye Records. Ao ouvir a canção várias vezes, Benjamin decidiu trazer a música para Inglaterra. Por ser difícil pronunciar o título para os ingleses, a canção foi rebaptizada para “Sukiyaki”, um nome mais “catchy” e bem mais fácil de pronunciar para os habitantes de terra de sua majestade.

Inicialmente, a Pye Records lançou uma versão instrumental da canção gravada. Depois que estar no ouvido de todos os ingleses e de se ter tornado um hit em Inglaterra, A editora HMV lançou o original, que também teve um bom sucesso de vendas, alcançando o sexto lugar nos registos mais vendidos da HMV. Em 1963, a Capitol Records lançou a música nos EUA com o título alternativo, e acabou por vender mais de um milhão de cópias, e mantendo-se o número um na Billboard Hot 100 durante três semanas em Junho de 1963.

Após o sucesso internacional de “Sukiyaki”, Sakamoto foi convidado para fazer uma tourneé mundial que durou mais de um ano. De uma quantidade enorme de países que visitou destacam-se as viagens aos Estados Unidos (incluindo Havai), Alemanha e Suécia. Durante a sua estadia nos Estado Unidos, foi convidado para aparecer em vários programas de televisão como por exemplo o The Steve Allen Show um dos grandes programas da televisão americana na altura. Outro dos programas era o famoso The Ed Sullivan Show, mas a sua aparição foi cancelada devido a um conflito de agenda com a produção do filme que estava a rodar.

Apesar de ser o tema “Sukiyaki” a fazer a fama de Sakamoto, ele também teve outros sucessos que tiverem algum impacto nos tops americanos, “China Nights (Shina no Yoru)” chegou ao número 58, em 1963. O seu único álbum American, Sukiyaki e outros sucessos japoneses, esteve no top 15 da Billboard durante 17 semanas. Ele recebeu o Disco de Ouro da Associação da Indústria Fonográfica da América (RIAA) pela Capitol Records a 15 de Maio de 1964, no Hotel Okura na capital japonesa.

Durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1964, foi convidado especial no programa de TV sueco Hylands Hörna transmitido ao vivo a partir de Tóquio. Em 1968, Sakamoto e Hachidai Nakamura participam no concurso de canto internacional Festival Internacional da Canção no Rio de Janeiro com a canção “Sayonara, Sayonara”.

Além de cantor Sakamoto também foi actor. Contam-se pelos dedos de duas mãos os filmes em que participou. A sua primeira aparição no grande ecrã foi em 1955 no filme Takekurabe realizado por Heinosuke Gosho. O segundo filme onde tem um papel como actor foi Subete ga kurutteru (すべてが狂ってる) em 1960 e que no Ocidente ficou conhecido como The Cliff and The Madness of Youth e foi realizado por Seijun Suzuki. Nos anos seguintes até 1967 ganhou vários papeis em filmes como Kigeki: ekimae danchi (1961), Shichiji ni aimashō (1963), Clap your hands when you are happy (1964), Gulliver’s Travels Beyond the Moon (1965), Kyūchan’s Big Dream (1967). O seu regresso ao cinema é já nos anos 70 e apenas é convidado para participar num único filme intitulado Tokkan (1975) realizado por Kihachi Okamoto.

Em 1971, Sakamoto casou com a actriz japonesa Yukiko Kashiwagi e desse casamento nasceram duas filhas, Hanako e Maiko. A sua carreira começa a desaparecer e a 12 de Agosto de 1985, Sakamoto é convidado para aparecer num evento em Osaka. Nessa viagem a bordo Japão Airlines Flight 123 aconteceu o que não se esperava. O avião caiu em dois cumes do Monte Takamagahara em Ueno. Este tornou-se o acidente mais mortal da história da aviação com 520 pessoas mortas, incluindo Sakamoto. Depois do acidente o seu corpo foi enterrado em Chōkoku-ji em Minato, Tóquio.

Começámos por dizer que era a sua música mais famosa e por isso deixamos aqui o seu legado com a música que o tornou “imortal”, “Ue o Muite Arukō” (“Olho para cima quando caminho”). Esta canção teve imensas versões quer cantadas por artistas japoneses quer por cantores ocidentais. A música também aparece em imensos outros lugares como por exemplo séries de televisão (segunda temporada da série televisiva americana Mad Men) ou filmes de animação (banda sonora do filme de 2011 do Studio Ghibli From Up on Poppy Hill).

Por isso se nunca ouviram esta música fica aqui o tema para jamais se esquecerem dele…

Escrito por: Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.