Não sabemos se o mais recente filme de Scorsese tem a ver com esta notícia, mas ontem (terça-feira 7 de Fevereiro) a Igreja Católica beatificou na segunda maior cidade japonesa, Takayama Ukon (mais conhecido como Dom Justo Ukon Takayama), um samurai do século XVII perseguido e condenado ao exílio por ter se convertido ao catolicismo, uma cerimónia que traz à tona um período sombrio da história japonesa.

O “Samurai de Cristo” como também é apelidado foi beatificado na presença do arcebispo de Tóquio, Takeo Okada, e do cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação pela Causa dos Santos, representando o papa Francisco. A missa aconteceu na presença de 12.000 fiéis.

No século XVII, havia entre 220.000 e 300.000 cristãos em uma população de 15 a 20 milhões de japoneses. No Japão actualmente há 453.00 católicos, entre eles muitos estrangeiros, em uma população de 127 milhões de habitantes.