Loading...
AnimeArtigos

Ping Pong The Animation

Ping Pong The Animation

Há uns anos atrás vi o filme “Ping Pong”, do realizador Fumihiko Sori, e na altura nem me apercebi que o mesmo era baseado no manga com o mesmo nome. Muitos anos mais tarde, e tendo eu já poucas recordações do filme de 2002, foi lançada a adaptação a anime do manga de Taiyō Matsumoto. Lançada em 2014, dezoito anos depois da publicação do manga original em 1996, pode-se dizer que este foi um dos raros casos onde a espera valeu a pena.

Yutaka Hoshino (Peco) e Makoto Tsukimoto (Smile) são dois amigos de longa data. Atormentado nos primeiros anos da escola, Smile sempre teve em Peco o seu “herói”, aquele que o vinha salvar dos vários rufias que o incomodavam diariamente. Da sua amizade nasceu outro laço, o do Ping Pong, desporto o qual Peco ama e que introduziu ao seu amigo mais próximo. Começando a acção da série vários anos mais tarde, quando ambos já estão perto de acabar o secundário, Ping Pong The Animation (ピンポン THE ANIMATION) foca-se no talento de ambos e na ambição de atingirem um nível de competição elevado na prática desta modalidade.

Se na teoria Ping Pong The Animation pode parecer uma normal série de desporto, na prática é bastante diferente, especialmente pelos personagens carismáticos da série e a maneira como eles são retratados ao longo desta. Peco é bastante extrovertido e até um pouco arrogante, embora seja a estrela da equipa da escola de Katase, o seu excesso de confiança leva a que se desleixe na prática do desporto do coração. Smile é o inverso de Peco, recatado e ponderado, recebeu a sua alcunha devido ao facto de nunca sorrir, não mostrando grande entusiasmo quando pratica o desporto.

Mas nem só os dois personagens principais se destacam na série, os seus adversários e treinadores também sobressaem. Nos treinadores, temos Jō Koizumi e Obaba (que nunca é vista sem um cigarro na boca), duas antigas glórias do Ping Pong local que se tornam mentores dos dois jovens promissores. Nos adversários, Kong Wenge é um atleta chinês que foi afastado da selecção nacional, procurando agora no Japão reganhar a forma e a confiança dos seus compatriotas. Manabu Sakuma (Akuma) é um rival de infância de Peco, que procura derrotá-lo como atleta de uma escola rival (Kaio). Por fim, Ryūichi Kazama (Dragon) é a estrela da escola de Kaio, dedicado e pragmático, assume-me como uma das maiores esperanças do mundo do Ping Pong japonês.

Embora grande parte da série gire em volta de competições do desporto, não se pode dizer que há heróis e vilões, sendo esse um dos pontos mais interessantes da série. Em Ping Pong The Animation são-nos apresentados vários atletas, cujos objectivos e dedicação ao desporto são diferentes. A personalidade e passado destes são analisadas ao pormenor para nos dar um sentido de familiaridade com os personagens. Esta proximidade criada com todos faz com que as cenas de competição sejam realmente emocionantes, pondo-nos em contra-senso sem saber por quem havemos de torcer na partida que estamos a ver.

Um dos pontos fortes da série é o foco que põe na amizade e no amor, sem nunca ser lamechas. A relação dos personagens com o desporto, os treinadores e os seus adversários está muito bem conseguida, com destaque para a tocante relação de amizade entre Peco e Smile.

Em termos visuais, a série é deslumbrante. O seu tipo de animação pouco comum pode pôr-nos com um pé atrás no início, mas é graças a esta que Ping Pong The Animation demonstra toda a sua glória. Todas as cenas da série estão muito bem conseguidas, desde a mais normal das conversas até à cena mais intensa de competição, há uma variação constante no ecrã que nos hipnotiza completamente durante os onze episódios da série e que me é difícil fazer justiça em palavras.

A banda sonora é outro dos pontos fortes. A opening, Tada Hitori por Bakudan Johnny, acelera-nos para todos os episódios, mas é na música ambiente que vai acompanhado a série que está o maior destaque. Composta pelo ainda jovem Ushio Kensuke, a banda sonora é delicada e agressiva nos momentos certos, adequando-se perfeitamente em todos os momentos da série, num trabalho bastante promissor deste jovem compositor que tem nesta série um excelente cartão de visita.

Ping Pong The Animation é uma das melhores séries de anime que já vi, é profundo e poético, tocante e inspirador. É sobre muito mais que o desporto de Ping Pong, é sobre as relações que vamos construindo ao longo da vida e como a nossa ambição e decisões que tomamos as moldam. Tudo isto em apenas onze episódios.

Escrito por: Nuno Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.