Loading...
ArtigosDesporto

Kaori Icho

Falarmos de Jogos Olímpicos que agora terminaram (Tokyo 2020) é também falarmos de Kaori Icho (伊調馨), a primeira mulher a vencer quatro títulos olímpicos individualmente consecutivos e que era considerada a atleta “invencível” entre 2003 e 2015 até ser derrotada inesperadamente em 2016.

Nasceu em 1984 (Era Showa) na cidade de Hachinohe, província de Aomori e desde muito nova se interessou pela prática do desporto. Começou a praticar desporto escolar nos tempos de liceu e nunca mais parou até chegar aos Jogos Olímpicos. Além do seu sucesso como atleta de alta competição Kaori é também doutorada em Ciências do Desporto e Saúde.

É a mais nova numa família de mais 2 irmãos, Chiharu Icho, a sua irmã, também é lutadora e já subiu ao pódium várias vezes nos Jogos Olímpicos de Atenas e Pequim, o irmão mais velho, Toshiyuki Icho, também é lutador e treinador do Sohgo Security Services (ALSOK).

Recebeu a medalha com fita roxa em 2004, 2008, 2012 e 2016. Prémio de Honra do Cidadão da Prefeitura de Aomori / Prémio de Honra do Cidadão da Prefeitura de Aomori por ganhar a medalha de ouro nas Olimpíadas de Atenas, Prémio de Honra de Cidadão da Prefeitura de Aomori / Prémio de Honra de Cidadão da Cidade de Hachinohe por ganhar a medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim, Prémio de Honra de Cidadão da Prefeitura de Aomori por ganhar o medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres (2ª vez), ganhou o Prémio Hachinohe Citizen’s Special Honor e o 60º Prémio Kikuchi Hiroshi.

A sua vida desportiva começa no clube de Hachinohe da Prefeitura de Aomori, com duas vitórias consecutivas no campeonato nacional inter-escolas. Da escola secundária ligada à Chukyo Women’s University na Prefeitura de Aichi (mais tarde Shigakkan High School), foi para a Chukyo Women’s University (mais tarde Shigakkan University), que é conhecida como uma forte escola de luta livre feminina.

Na classe de 56 kg, lutou com a sua rival Saori Yoshida, mas depois de passar para a classe de 63 kg, tornou-se invencível.

A participação Olímpica começa em 2004 em Atenas, onde a sua irmã Chiharu conquista a medalha de prata, e ela ganha a medalha de ouro. Também ganhou a medalha de ouro nos 2008 Jogos Olímpicos de Pequim e ganhou o campeonato pela segunda vez consecutiva. Passado um tempo decidi ir viver para o Canadá durante um ano para descansar, e regressa ao Japão em 2009.

Dois anos mais tarde, ganha a medalha de ouro nos 2012 Jogos Olímpicos de Londres, e torna-se o segundo atleta japonês após Tadahiro Nomura a ser o primeiro a vencer os Jogos Olímpicos pela terceira vez consecutiva. No Campeonato Mundial de 2013, vence todos os combates com vitórias técnicas. No Campeonato Mundial de 2014, que foi recentemente desafiado na classe de 58 kg, vence novamente por vitórias técnicas todos os combates, incluindo a derrota da russa Valeria Cobrois por 10-0 na final, e vence o campeonato mundial pela 12ª vez.

No Campeonato Mundial em Agosto de 2015, vence o campeonato mundial pela 13ª vez com uma vitória técnica. Como resultado, desde que participasse do All Japan Championship em Dezembro, seria indicado como representante das Olimpíadas do Rio de Janeiro pelo regulamento, e vence o All Japan Championship pela 12ª vez no total. Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016, vence as Olimpíadas pela quarta vez consecutiva ao vencer por 3-2 na final contra Valeria Koblova da Rússia.

Na final do Torneio Internacional Yarigin realizado na Rússia a 29 de Janeiro, 2016, Kaori Icho perde para a mongol Prevdorji Orkhon por 0-10. É aqui que o seu record pára com 189 vitórias consecutivaso

No All Japan Championships de 2018 em Dezembro competiu na classe 57kg e perde por uma pequena margem com Saori Yoshida e perde para uma lutadora japonesa pela primeira vez em 17 anos. No Campeonato Asiático de 2019, volta a perder para Jong Myong-sook da Coreia do Norte por 4 a 7 nas semifinais e termina em terceiro.

A tetracampeã olímpica de luta livre Kaori Icho termina a sua corrida em busca da quinta medalha de ouro em Olimpíadas. A experiente lutadora de 35 anos não conseguiu classificar-se para os Jogos Olímpicos do seu país, após perder o mundial e ter que mudar de categoria para disputar as qualificatorias. Mesmo assim foi nomeada representante dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

Escrito por: Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Connect with Facebook

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.