Yoshiaki Kawajiri (川尻 善昭) é conhecido por clássicos como Ninja Scroll ou Vampire Hunter D: Bloodlust. Antes de realizar esses filmes, Yoshiaki foi responsável pela produção de Ciber City Oedo 808 (サイバーシティ OEDO 808), uma OVA de apenas três episódios que nos transporta para um Japão futurista, passando-se a acção numa cidade de Tokyo (Oedo) cyberpunk no ano de 2808.

Shunsuke Sengoku, Gabimaru “Gogol” Rikiya e Merrill “Benten” Yanagawa são três criminosos condenados a aproximadamente trezentos anos de prisão cada. Roubo, homicídio e extorsão são “qualidades” que fazem parte do currículo de cada um destes personagens. Quando lhes é proposto tornarem-se agentes da polícia como forma de fugirem à vida monótona que levam na prisão, os três aceitam, tendo uma redução de alguns anos na pena a cada criminoso que apanham na sua nova carreira.

Obviamente que sendo antigos criminosos, tem de haver forma de os controlar agora que saíram da prisão. Assim sendo, todos concordaram em utilizar um colar à volta do pescoço que está sobre o controlo de Hasegawa, o chefe da polícia local, que detém o controlo sobre a vida dos três protagonistas da série.

Cada episódio da série foca-se num dos protagonistas da série. O primeiro é dedicado a Sengoku e a missão de resgate pela qual está responsável num dos maiores edifícios de Oedo, cujo controlo foi tomado por um hacker misterioso. O segundo episódio é dedicado a “Gogol”, que se vê intrometido numa disputa com o exército quando tenta ajudar uma antiga parceira. No último episódio, que é dedicado a “Benten”, este é enviado numa missão para tentar descobrir o culpado por detrás do homicídio recente de três geneticistas.

Ao longo dos episódios vamos tendo alguns flashes do passado dos personagens, mas o maior foco é sempre na missão actual e o mistério que está por detrás dos trabalhos que estes polícias cibernéticos têm de aceitar. Contando com apenas três episódios, não é possível aprofundar muito as raízes de cada um dos personagens, ficando o espectador apenas com um ligeiro conhecimento da vida e história de cada um destes criminosos.

O mundo em Ciber City Oedo 808 é um local violento e sombrio, onde os chefes de certas organizações governamentais têm mais poder que o desejado. Experiências em humanos ou declarar sentenças sobre criminosos antes que estes tenham direito a um julgamento são acontecimentos comuns neste mundo.

A série é bastante violenta, com bastante sangue e a ocasional explosão de um corpo. As cenas de acção são o mais excitante da série, especialmente as que envolvem lutas contra alguns dos cyborgs que aparecem no caminho dos protagonistas. Há também uma certa quantidade de adversários que já se aproximam do domínio do sobrenatural, evitando que a temática “homem contra máquina” se torne enfadonha.

A animação da série é bastante boa para a época em que foi feita. Completamente diferente do normal da indústria de hoje em dia, “Ciber City Oedo 808” conta com um traço mais adulto, com a aparência um exagerada de alguns dos personagens a espelhar a sua personalidade. 

A banda sonora adequa-se ao ambiente da série, entrando no campo do synthwave, usando e abusando do som de sintetizadores que ajudam a moldar o ambiente cyberpunk deste mundo. O tema de abertura (Tsuiku no Komando) e encerramento (Aishiteru Kamoshirenai) também são de destacar, com os episódios a abrirem com uma batida pop acelarada e a encerrarem com uma bela balada da autoria de Hidemi Miura.

Ciber City Oedo 808 é um clássico, ainda se aguentando bastante bem mais de vinte anos após a sua estreia. É uma pena que só tenham sido feitos três episódios da série, pois o mundo onde esta se encontra é bastante interessante. É ideal para quem gosta de futuros distópicos, cyberpunk e uma grande dose de violência.

Escrito por: Nuno Rocha